A história de amor entre Rama e Sita

É muito conhecido no Ramayana a história de amor entre Sita e Rama, um amor antigo, vindo de outras vidas. Vishnu e Lakshmi viveram várias vidas juntos, e em uma delas, Vishnu reencarnou como o príncipe Rama, e Lakshmi como Sita, sua esposa.

ramasita01

Rama era conhecido por sua bondade e integridade. Por conta disso, povo de Ayodhya esperava ansioso o dia em que o príncipe Rama se tornasse rei. Entretanto, em razão de intrigas palacianas, Rama não foi coroado, mas condenado ao exílio em uma floresta, onde permaneceu por 14 anos. Sita não o abandonou e foi morar com o amado na floresta. O irmão de Rama, Lakshmana, também acompanhou o casal durante o exílio.

Um dia, Rama e seu irmão se descuidaram e deixaram Sita sozinha na floresta. Na ausência deles, um mendigo faminto veio até onde Sita estava e pediu-lhe comida. Ela não imaginou que aquele mendigo faminto pudesse ser perigoso, e ao sair do círculo de proteção traçado por Rama, viu que o mendigo era na verdade o demônio Ravana, que estava ali para raptá-la.

Ravana sequestrou Sita e levou-a para o palácio de Lanka, onde hoje é o Sri Lanka, querendo que ela se tornasse sua esposa.

Quando Rama retornou, percebeu o que tinha ocorrido e pediu ajuda ao deus macaco Hanuman para encontrar Sita, e então começa a grande história da tentativa de reencontro entre Sita e Rama.

Para chegar ao Sri Lanka, Rama, Hanuman e seu exército deveriam atravessar o mar, uma empreitada difícil e perigosa.
No palácio de Ravana, Sita era coberta por ouro e joias, mas elas não serviam para absolutamente nada. Sita estava desolada e ansiava por reencontrar Rama. Hanuman, ajudando Rama e o irmão, conseguiu chegar até o Sri Lanka e passou a procurar por Sita, que era vigiada por um grupo de demônias. Quando as demônias dormiram, Hanuman aproveitou a oportunidade e entregou a Sita o anel de Rama. Era um sinal de que o reencontro do casal estava próximo, e então seu coração se encheu de alegria e esperança. Sita cortou uma mecha de seu cabelo e pediu para que Hanuman entregasse a Rama.

Contudo, Hanuman foi descoberto pelos guardas de Ravana, que atearam fogo em sua cauda, e com isso acabaram incendiando parte da cidade. Hanuman conseguiu voltar para a Índia e entregou a mecha da Sita a Rama. Aquele sinal de amor de Sita era a força que faltava a Rama para derrotar Ravana.
Rama, Hanuman e seus exércitos conseguiram invadir o reino de Ravana, em uma batalha violenta que se estendeu por dias. Rama foi ferido por flechas, e todos pensaram que estava morto, fazendo com que as tropas de Ravana recuassem. Entretanto, Rama não estava morto e foi curado com ervas medicinais, e então voltou para a batalha, pegando todos desprevenidos e obtendo a vitória.

Sita estava liberta e o casal pôde viver novamente o seu amor.

A passagem em que o mensageiro entrega o anel de Rama para Sita é utilizada por Rabindranath Tagore em seu livro Sadhana: A Compreensão da Vida, no capítulo em que descreve o amor. Para Tagore, o anel enviado por Rama é como uma flor. O anel é o sinal do amor, e assim também é a flor: um sinal do amor do mundo, um convite para a libertação das nossas almas <3

ramasita02

Texto de Leonardo Brockmann, tradutor dos livros
Ashtavakra Gita e Sadhana: A Compreensão da Vida

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *